Voltar

A jornada para a nuvem começa na gestão da sua private cloud

Leonardo Costa

A computação em nuvem se tornou um tema recorrente no mundo dos negócios, principalmente com a transformação digital. A possibilidade de armazenar um número amplo de arquivos em diretórios virtuais e privados é bastante atrativa, afinal.

Contudo, é preciso ter maturidade para iniciar a sua jornada de gestão na nuvem. É necessário contar com provedores de alto nível e entender as mudanças que afetarão o seu negócio. Pensando nisso, preparei um post especial sobre o tema. Acompanhe!

Por que adotar a gestão na nuvem

Também conhecida como cloud computing, a computação em nuvem proporciona o armazenamento de informações em um banco de dados on-line. Desse modo, os clientes do serviço não precisam gastar dinheiro com a compra de discos rígidos e pen drives.

Ao salvar os arquivos diretamente na nuvem, o cliente passa a contar com a possibilidade de gerenciá-los diretamente na internet. Isso é especialmente importante para quem não quer ficar baixando os arquivos novamente — todas as alterações podem ser realizadas no ambiente virtual.

Assim, podemos dizer que a gestão na nuvem se relaciona à utilização de infraestrutura, recursos e serviços baseados na internet. Essa opção traz um nível extra de segurança para as empresas, já que depender apenas de dispositivos físicos para arquivar informações pode causar a perda de documentos importantes em caso de roubo ou furto dos equipamentos.

Contudo, essa gestão traz alguns desafios para a empresa contratante. O principal deles se relaciona à contratação do serviço: é necessário contar com parceiros experientes e já reconhecidos no mercado para garantir que a migração seja realizada de forma segura para o negócio.

Jornada para nuvem e maturidade

A jornada para a nuvem não é um trabalho dos mais simples. Por isso, é necessário contar com um planejamento preciso, além do devido engajamento das equipes e dos usuários.

Outro aspecto bastante importante para a jornada para nuvem é o amparo técnico dos profissionais de tecnologia, de modo a conduzir todo o processo de forma tranquila para todos os envolvidos.

Como este projeto envolve uma grande quantidade de pessoas dentro da empresa, é imprescindível tratar o assunto com transparência. Assim, conscientize os colaboradores sobre os procedimentos, etapas e a importância do trabalho de migração para a nuvem.

Para isso, é uma ótima ideia avaliar o contexto atual da organização para compreender as necessidades e apresentar, de maneira clara, as ideias dos gestores, seja no curto, médio ou longo prazo.

Assim, temos o momento ideal para ponderar sobre quais aplicações devem ser migradas da forma que se encontram no presente e quais devem ser transformadas na migração.

Isso se explica pelo fato de que, para obter os benefícios da mudança, é essencial que as aplicações do negócio sejam projetadas para explorar tudo o que o modelo de nuvem oferece.

Nuvem privada

Para definir a opção privada, é interessante começar falando um pouco sobre a modalidade mais comum: a nuvem pública. Nesse esquema, os dados são hospedados em servidores de companhias especializadas, como o Google, a Microsoft ou a Amazon. Elas são proprietárias de milhares de máquinas e data centers.

Por conta dessa ligação com essas empresas, um equívoco comum é associar a cloud computing unicamente ao modelo público. Nessa modalidade, as gigantes de tecnologia compartilham a sua infraestrutura de acordo com a demanda das empresas. O pagamento é realizado de acordo com a quantidade de recursos utilizados mensalmente — ou seja, uma solução que conta com escalabilidade.

Já a nuvem privada se relaciona à prática, por parte das empresas provedoras de serviço, de manter diversos data centers que se comunicam. Pode ser o caso de uma rede de lojas que opere com servidores próprios em cada uma das unidades, por exemplo.

A nuvem privada é bastante popular e eficiente em organizações que precisem armazenar informações e documentos confidenciais. Assim, instituições financeiras, por exemplo, recorrem ao modelo privado para garantir um nível superior de segurança e confiabilidade em suas operações.

Além disso, a nuvem privada pode contar com servidores on-premises ou remotos. No primeiro caso, há uma estrutura própria montada dentro do escritório.

Uma implementação adequada reduz a quantidade de equipamentos necessários para que o sistema funcione como um todo — o que gera até mesmo energia elétrica, por exemplo, além de dispensar a aquisição de dispositivos físicos de armazenamento.

Contudo, essa não é a única vantagem da nuvem privada. Agora, apresentaremos outros benefícios desse modelo.

Escalabilidade

Para empreendedores que estão iniciando agora a sua trajetória no mundo dos negócios, já é difícil falar, com conhecimento de causa, sobre a exata infraestrutura computacional que contemplaria todas as preferências dos gestores.

Esse problema também é recorrente para aqueles que já estão atuando no mercado: é difícil estimar o crescimento exato do negócio nos próximos anos, já que as alterações não dependem apenas dos gestores, mas também das oscilações no setor.

É aí que entra a necessidade de escalabilidade. Quem migra para o serviço de nuvem privada passa a custear somente os recursos que efetivamente contrata. Isso é especialmente importante para empresas que gostam de manter os gastos sob controle.

Com a escalabilidade na medida certa oferecida por um serviço privado de nuvem, a empresa não perde mais dinheiro com um mau dimensionamento da infraestrutura necessária para a TI operar em alto nível.

Flexibilidade

Outro benefício significativo é a flexibilidade proporcionada pelos serviços em nuvem privada. Isso porque armazenar documentos importantes em um único local (como um disco rígido) retarda os processos e comprometem a integridade desses arquivos.

Ao armazenar tudo em um dispositivo físico, um mero furto pode causar vazamentos de informações confidenciais sobre clientes, por exemplo. Do mesmo modo, serviços de nuvem pública estão mais propensos a invasões.

Além da flexibilidade em poder acessar os arquivos de qualquer lugar por meio de um smartphone, a empresa também ganha em agilidade. Se torna bem mais fácil compartilhar dados com colaboradores de outras filiais, por exemplo, e oferecer vagas de home-office, caso esse seja o perfil da organização.

Economia de recursos

Como os provedores de serviço em nuvem privada fornecem a utilização de servidores virtuais, rotinas de segurança e monitoramento, além de todo o suporte técnico e atualizações, é possível cortar gastos relacionados a atividades que eram realizadas internamente.

Assim, custos exagerados com pessoal são reduzidos, além do corte de gastos com equipamentos destinados a armazenar os arquivos da empresa.

Como ter uma jornada para nuvem mais segura e eficaz

Quando falamos em "jornada para a nuvem", é uma ótima ideia pensar nos requisitos da empresa de forma mais ampla. Isso porque, dependendo da dependência do negócio em relação à tecnologia, toda a operação pode ser afetada por esse processo de transição.

Na prática, uma jornada bem planejada mitiga os riscos associados, além de garantir que nenhuma informação importante seja perdida durante essa mudança. Para realizar um levantamento efeito, é uma ótima ideia criar um organograma para os planos de migração.

Em um cenário ideal, as atividades desempenhadas pela empresa não devem sofrer uma mudança no momento no qual a organização passa a contar com uma gestão na nuvem. Assim, podemos destacar o que deve ser considerado antes das alterações:

  • etapa inicial de replicação do ambiente;
  • período de testes e homologação da nova tecnologia;
  • ajustes finais para a melhoria na performance e otimização dos recursos.

A importância do planejamento

Planejar bem é essencial para qualquer atividade complexa. Com a gestão na nuvem não é diferente, isso porque nem toda empresa consegue migrar para o ambiente cloud de forma suave. Diversos tipos de erros podem causar essas falhas, como a perda de dados durante o processo ou incompatibilidade de aplicações.

Um dos principais diferenciais da computação em nuvem é o ganho com segurança, disponibilidade e a redução de custos. Entretanto, tudo pode ser comprometido se a jornada não for desenhada de acordo com a sua própria infraestrutura.

Assim, podemos dizer que a garantia do sucesso está diretamente ligada à qualidade do cronograma estabelecido, bem como pela execução dos profissionais alocados para a tarefa. Por isso, é fundamental contar com especialistas no assunto, que saberão avaliar o seu ambiente e propor as melhores soluções.

Com uma análise adequada do ambiente e o suporte oferecido por profissionais com expertise em relação à gestão em nuvem, a tendência é que o seu negócio já possa, em pouco tempo, desfrutar de aplicações com menos latência e alocação de funcionalidades de acordo com as necessidades e preferências do seu negócio.

Para descobrir bons prestadores de serviço, é uma boa ideia realizar uma pesquisa para ter certeza de que as características e recursos dos provedores de nuvem tenham sinergia com as necessidades e preferências do seu negócio.

Nesse momento, é fundamental considerar como a arquitetura apresentada pelo fornecedor se integrará aos fluxos de trabalho já estabelecidos do seu negócio. Além disso, é necessário questionar sobre possíveis restrições de uso e características gerais da oferta apresentada.

O que faz a diferença na gestão na nuvem

Quem está em processo de inserção no ambiente de cloud computing deve ter em mente que, na nuvem pública, todas as máquinas, aplicações e infraestrutura dos provedores são compartilhadas com outros empreendedores do mundo todo.

Assim, são milhões de clientes acessando os mesmos servidores ao mesmo tempo. Isso resulta em problemas como a baixa disponibilidade das aplicações. Podemos dizer, portanto, que o que faz realmente a diferença na gestão da nuvem é a adoção do modelo privado.

O acesso irrestrito de outras empresas à mesma infraestrutura que alocará os seus dados pode facilitar as invasões e facilitar ciberataques, colocando em risco toda a segurança do seu negócio.

Por outro lado, quem opta pela utilização da nuvem privada consegue evitar uma série de problemas. Isso porque os dados armazenados nas chamadas private clouds se tornam disponíveis em ambientes protegidos, dedicados exclusivamente à sua empresa.

Isso garante um maior nível de segurança dos seus dados e informações, além de proporcionar mais controle sobre os seus ambientes. Aliado às boas práticas de governança de nuvem, como a modalidade on-premises, leva a uma jornada bem mais eficaz e protegida.

Mencionamos a necessidade de um planejamento bem estruturado e da ajuda de profissionais especializados nesse tipo de migração. Esses profissionais conseguirão prover um entendimento maior do preço da TI local, dos gastos alocados em cada departamento, por exemplo.

Os melhores provedores de soluções em nuvem do mercado o ajudarão na busca pela maturidade na condução das suas necessidades de TI, apresentando políticas abrangentes de segurança, hierarquia de permissões de acesso e suporte completo.

Toda essa expertise, aliada a um nível de proteção otimizado no tráfego de dados, resulta em taxas de disponibilidades bem mais elevadas em relação ao modelo de nuvem pública.

Como adotar a gestão na nuvem de forma eficiente

Impulsionar os negócios com o apoio de uma plataforma de cloud computing é uma ótima forma de conseguir mais tempo para se concentrar no seu core business. Isso porque é possível transferir todas as atividades críticas de TI para profissionais especializados em nuvem.

É possível contar com parceiros que disponibilizam data centers no Brasil e em outros países. Assim, você garante um sistema de redundância ampla, consegue resoluções rápidas na manutenção de serviços e um gerenciamento de conteúdo eficiente.

Para concretizar a sua jornada de forma bem-sucedida, é ideal priorizar provedores que ofereçam serviços flexíveis. Dessa forma, será possível contratar as funcionalidades de uma nuvem privada, mas com a possibilidade de adotar um modelo híbrido, de acordo com as necessidades do negócio.

Como pudemos ver no post, apostar na gestão na nuvem é ótima maneira de obter escalabilidade, redução dos gastos e alta disponibilidade das suas aplicações. É um meio de diminuir a necessidade de infraestrutura física, eliminando custos operacionais relacionados à energia elétrica, por exemplo.

Com a gestão na nuvem realizada de forma eficiente, você paga apenas pelo que é efetivamente usado. Esse tipo de solução está acessível a empresas de diferentes portes, já que profissionais com experiência no mercado saberão levar as características da sua organização em conta.

E aí, curtiu o post e tem uma opinião sobre um assunto? Então, deixe um comentário e compartilhe conosco os seus insights sobre o tema!

Compartilhe:

Outros destaques

Metodologia ágil em desenvolvimentos é potencializada pela orquestração multinuvem

Empresas podem obter benefícios como vantagem competitiva e corte de custos ao unir dos dois processos

Saiba mais

Nuvem híbrida: o que é e qual é a sua importância para a computação?

Neste texto, você verá como a nuvem híbrida é importante para a computação e para a vida da empresa. Quer saber melhor como isso funciona?

Saiba mais

Jornada para a nuvem: começar bem acompanhado é o caminho para o sucesso

Desde que a jornada para a nuvem era algo do futuro e cheia de promessas, centenas de organizações de todos os portes embarcaram nesta jornada

Saiba mais

Assine nossa news

Receba no seu e-mail informações e conteúdos ricos sobre transformação digital e jornada para nuvem dos melhores especialistas do mercado.
Não se preocupe, não enviamos spam. ;)