Voltar

Aprenda como promover a segurança da informação na sua empresa

Marco Zanini

Com a transformação digital e a geração de dados no nivel atual, questões como segurança da informação se tornam mais importantes. Afinal, uma simples informação é fundamental nas decisões para o futuro da empresa.

Diante disso, é fundamental encontrar formas de proteger os seus dados e evitar que eles se percam, tanto por desastres tecnológicos quanto por ações de cibercriminosos. E, para isso, é preciso investir em segurança da informação.

Pensando nisso, neste texto, vamos falar sobre a importância da segurança da informação, como ela funciona e quais são as principais medidas para promovê-la em sua empresa. Boa leitura!

O que é a segurança da informação?

A segurança da informação diz respeito a um conjunto de ações realizadas para minimizar as ameaças e os riscos, tanto acidentais quanto intencionais, aos quais a sua empresa pode estar submetida. Alguns dos principais são:

  • roubo de equipamentos;
  • sequestro de dados;
  • desastres tecnológicos;
  • vazamento de informações;
  • fraudes tecnológicas;
  • modificações não-autorizadas de dados, entre outros.

A segurança de dados se baseia em três atributos básicos para a sua realização. Veja mais sobre cada uma delas, a seguir.

Integridade

Os dados precisam se mostrar íntegros, ou seja, sem serem corrompidos, alterados, fraudados ou sem que sofram qualquer tipo de alteração que possa comprometer a sua lisura. É recorrente, por exemplo, que hackers realizem modificações em dados de boletos bancários para que a compensação caia na conta deles — e não na da organização.

Confidencialidade

As informações só podem estar disponíveis para aqueles que precisam ter acesso aos dados. Dessa forma, a segurança da informação precisa atuar de forma incisiva para evitar interceptação, vazamento e exposição das informações para terceiros.

Por exemplo, cibercriminosos podem interceptar dados, como números de cartões de crédito, para utilizar em ações de fraude, com o objetivo de realizar compras com os dados do cliente.

Disponibilidade

Os dados precisam, também, estar disponíveis no momento em que a organização precisa ter acesso a eles. Em muitos casos, é exatamente esse o ponto no qual os hackers atuam para obter vantagens indevidas dos gestores.

Um dos exemplos mais contundentes é o ransomware, um vírus que atua criptografando os arquivos da sua máquina e exigindo um resgate, normalmente em Bitcoins, para que possa ocorrer a liberação do acesso.

Por que a segurança de dados é importante para a empresa?

Toda empresa gera, continuamente, uma série de dados todos os dias. E, devido às transformações tecnológicas, é normal que a maioria das ações (em alguns casos, até mesmo todas elas) ocorram em um ambiente online.

Isso pode ser positivo na medida em que agiliza os processos internos da organização, permite a integração das equipes e, até mesmo, possibilita o trabalho remoto. Ao mesmo tempo, gera brechas maiores de vulnerabilidade, pelas quais os cibercriminosos podem abordar a organização.

Afinal, toda empresa trabalha, atualmente, com plataformas digitais, softwares conectados à rede, sistemas de cloud computing, uso de aplicativos e uma série de outras soluções. Sem contar que há cada vez mais dispositivos trabalhando simultaneamente para uma mesma empresa nas diversas funções.

Por exemplo, um gestor pode utilizar uma solução tanto em seu notebook quanto no computador da empresa e, também, em seu dispositivo móvel e em weareables. Com isso, são três dispositivos que podem ter as suas brechas de vulnerabilidade e causar problemas para a integridade dos dados do negócio.

Não adianta, por exemplo, fortalecer os protocolos da máquina de acesso utilizada internamente na empresa e, em contrapartida, deixar sem qualquer cuidado extra o uso dos aplicativos nos dispositivos móveis. Pode ser justamente por meio desse aparelho que um hacker consiga o acesso aos dados sigilosos da organização.

Quais são as principais ameaças à segurança da informação nas empresas?

Para saber o que está combatendo, é fundamental verificar quais são as principais ameaças existentes. Vamos listar as mais recorrentes, a seguir.

Phishing

É uma das tentativas de ação de violação de segurança mais comuns que ocorrem no ambiente das organizações, tentando pegar usuários de forma desprevenida. Para isso, utiliza-se de nomes falsos para que o usuário revele senhas, dados bancários, informações de login e números de identidade, entre outros.

Normalmente, ele é feito da seguinte forma: um cibercriminoso envia um e-mail fingindo ser de um serviço que a pessoa utilize (no âmbito pessoal, por exemplo, um contato da Netflix) e solicitando que ela faça o login para continuar. A pessoa fornece os dados, acreditando estar na plataforma verídica, mas se trata de uma fraude. Por meio do acesso, o cibercriminoso pode ter uma série de vantagens fraudulentas.

Trojan

O Trojan, como o próprio nome sugere, é um “cavalo de Troia”. Sua função é entrar na máquina disfarçado de um software comum, sem ser malicioso, e abrir as portas de vulnerabilidade para códigos que podem causar grandes estragos.

É um dos mecanismos de ação, por exemplo, para a entrada do Ransomware. O Trojan entra na máquina, gera as brechas de vulnerabilidade e o vírus de fato consegue passar pelas barreiras de segurança sem maiores problemas.

Engenharia social

Atualmente, a engenharia social tem se tornado cada vez mais comum nas ações maliciosas. Nesse caso, apela-se para os sentimentos da pessoa envolvida na ação. Não é preciso nada tecnológico para efetuar a ação, basta contar com o despreparo e a ingenuidade da pessoa.

Por exemplo, um criminoso finge que é um diretor da empresa solicitando dados que são sigilosos, ou acesso a informações que pessoas de fora não conseguem obter. Uma pessoa despreparada acredita nessa solicitação e repassa-os, por ingenuidade.

Softwares maliciosos

Essa modalidade já é mais conhecida e ainda bastante utilizada para quebrar a segurança de dados de empresas. Nesse caso, um programa malicioso é baixado e executado na máquina.

A vulnerabilidade ocorre, muitas vezes, pela abertura de um e-mail contendo um anexo com o código malicioso que, quando executado, infecta o dispositivo e passa a operar para a realização da ação a qual está destinado, podendo ser:

  • atuar como espião, enviando as informações da máquina para o hacker;
  • obter dados sigilosos que estejam armazenados ali;
  • ter a possibilidade de acesso remoto a máquina;
  • criptografar os dados para inutilização do acesso, entre outros.

Como funciona a segurança da informação nos negócios?

A segurança da informação é implementada pelo setor de Tecnologia da Informação ou, caso não conte com uma área específica, por profissionais com essa expertise. Eles atuam em todos os dispositivos que possuem algum tipo de contato com as informações estratégicas da organização.

Por exemplo, se os dispositivos móveis particulares dos diretores têm acesso aos bancos de dados da organização ou a aplicativos que estejam ligados a eles, os profissionais deverão ter acesso e implementar tanto protocolos quanto medidas de segurança, bem como orientar os usuários sobre as principais condutas que devem e, principalmente, que não devem ter, para não aumentar as vulnerabilidades.

Além disso, eles podem atuar verificando o uso da internet dentro da organização, bloqueando possíveis sites que aumentem as chances de problemas (não raro, redes sociais e e-mails pessoais são passíveis de bloqueio nas instituições, como uma forma de diminuir spams, phishing e download de arquivos maliciosos, entre outros).

Outra forma de atuação da segurança da informação nos negócios é por meio de treinamentos, palestras e ciclos de conversas nos quais os especialistas ensinarão para os presentes como evitar colocar os dados da empresa em risco, como se comportar na Internet, quais são os principais indícios de problemas, o que devem fazer caso observem algo suspeito, entre outras condutas fundamentais para garantir a segurança da informação.

O que fazer para promover a segurança de dados na empresa?

Algumas medidas podem ser adotadas para potencializar a segurança de dados em seu negócio. Veja as principais, a seguir.

Utilize certificados digitais

Os certificados digitais funcionam como uma espécie de assinatura que as organizações podem usar para atestarem a veracidade das informações e a identidade da empresa, do usuário ou do site. É uma forma de assegurar, para seu destinatário, que aquele dado não foi corrompido durante o envio.

Se ocorrer qualquer tipo de violação no arquivo original, o certificado digital se perde. Assim, quem o recebe pode verificar se o conteúdo está íntegro ou não.

Realize backups com frequências

Os backups são uma forma de ter um local para recorrer quando ocorre qualquer tipo de problema com os dados originais armazenados em sua máquina. Eles servem não só para ações de hackers, mas até mesmo para possíveis desastres tecnológicos.

Por exemplo, se um HD ou um servidor queima ou entra em pane, as informações ali contidas podem se perder para sempre. Ter um backup é fundamental para recuperar as informações que, na maioria das vezes, são essenciais para as rotinas internas.

Os backups podem ser feitos tanto de forma física (armazenamento em HDs ou servidores externos) quanto na nuvem (muito utilizado em empresas com cultura serverless), podendo ser acessado a partir de qualquer dispositivo, a qualquer momento.

Estabeleça políticas de segurança em seu negócio

Ao criar uma política de segurança, a sua organização estabelece quais são as medidas que cada colaborador deve adotar para manter um determinado nível de segurança de dados em seu negócio.

Ela pode estabelecer condutas simples — como a confirmação da autenticidade do contato, ao solicitar informações restritas — ou, até mesmo, quais serão os protocolos, as ferramentas e os tipos de criptografia que serão utilizados pelos especialistas em segurança da informação para garantir a proteção dos dados.

Esse documento deve ser elaborado por especialistas na área e atualizado constantemente com as melhores práticas e ferramentas existentes no mercado.

Estabeleça níveis de acesso a dados

Uma forma de proteger as informações do negócio é estabelecer níveis de acesso aos dados internos, de acordo com a necessidade de sigilo. Afinal, nem todos as informações podem — e devem — ser acessadas por todos os colaboradores.

Por exemplo, qual é a necessidade de um colaborador da área de logística acompanhar as estratégias para o lançamento de um produto novo? Nenhuma, não é mesmo?

Sendo assim, alguns arquivos e documentos devem estar restritos apenas para aqueles que trabalham com determinadas operações. Isso restringe a possibilidade de ações de cibercriminosos, já que terão de buscar acesso a máquinas específicas — que, diante da situação, deverão estar com atenção redobrada.

Tenha um plano de contingência

E se tudo der errado? Então, é hora de colocar em prática um plano de contingência. Ele auxilia a orientar os colaboradores sobre o que fazer diante de cenários de problemas para minimizar os danos ocorridos.

Por exemplo, um ransomware começa a agir em sua máquina, e um colaborador leigo percebe o que está ocorrendo. O que ele deve fazer? Quais são os passos que devem ser traçados entre esse descobrimento, até a resolução da questão por parte dos especialistas?

Com o plano de contingência, é possível universalizar as condutas e evitar que, por despreparo ou desconhecimento, uma pessoa leiga piore a situação ocorrida.

Conte com uma consultoria de segurança de dados

Os especialistas em segurança de dados devem estar sempre observando e verificando quais são as condutas a serem inseridas na organização, bem como implementar medidas cada vez mais modernas e eficientes para a minimização da ocorrência de problemas, seja por meio de cibercriminosos, seja por desastres tecnológicos.

Esses profissionais estão ambientados sobre os principais riscos e perigos existentes, os tipos de ataques mais comuns, as principais formas de evitar a situação e o que fazer diante de um cenário conturbado.

Além disso, eles podem indicar mudanças necessárias para uma melhor segurança, como a migração para a nuvem (minimizando perdas de informações por desastres tecnológicos), implementação de soluções de segurança que adotem Deep Learning e Machine Learning, entre outros.

Por isso é fundamental que, ao pensar em segurança de dados, a organização conte com o apoio de especialistas, obtendo melhores resultados e evitando potenciais prejuízos que possam vir a ocorrer.

Cada vez mais, a segurança da informação é solicitada para as empresas. Caso você não invista nisso, poderá colocar todo o funcionamento do negócio em xeque. Portanto, não seja displicente com essa questão.

Gostou deste conteúdo? Assine a nossa newsletter e receba outras dicas diretamente em seu e-mail.

Compartilhe:

Outros destaques

Qual é o impacto da tecnologia 5G na cloud computing?

A revolução da tecnologia 5G está prestes a começar. Assim que a inovação da comunicação sem fio for aplicada nos mais diversos países, notaremos seus impactos na eficiência operacional e na diminuição de custos das empresas, bem como na vida pessoal de todos os envolvidos.

Saiba mais

O que é machine learning? Tire aqui todas as suas dúvidas!

O machine learning e as diversas ferramentas de inteligência artificial e análise de dados têm como diferenciais a capacidade de entregar grande parte dos trabalhos para que as próprias máquinas os façam.

Saiba mais

Afinal, o que é data science? Descubra aqui!

Que o mercado está cada vez mais desafiador e exigindo decisões baseadas em exatidão dos gestores, não é uma novidade para ninguém. Diante disso, para quem se preocupa com as tomadas estratégicas, é fundamental ter conhecimento sobre o que é data science e qual seu impacto nas organizações.

Saiba mais

Assine nossa news

Receba no seu e-mail informações e conteúdos ricos sobre transformação digital e jornada para nuvem dos melhores especialistas do mercado.
Não se preocupe, não enviamos spam. ;)