Voltar

Nuvem pública: entenda o que é esse conceito e como funciona!

Leonardo Costa

A transformação digital tem mudado consideravelmente a rotina das organizações, demandando necessidade de adequação para os novos tempos do setor de TI. Aqueles que ainda não trabalham, por exemplo, com cloud computing, estão ficando para trás e sendo engolidos pelos concorrentes.

A nuvem pública é uma ótima solução para quem está realizando a migração para esse modelo de computação. Cada vez mais as organizações utilizam esse modelo. Segundo o Gartner, uma das maiores autoridades no setor de TI, a expectativa é que a receita mundial de nuvem pública cresça 17% em 2020, o que representaria um crescimento de US$ 116 bilhões.

Sua empresa ainda não entrou neste processo de migração? Entenda então o que é a nuvem pública e tire suas dúvidas sobre o tema.

O que é nuvem pública?

A nuvem pública é um modelo de cloud no qual se torna possível virtualizar serviços e recursos de hardware, permitindo que os colaboradores de TI, desenvolvam soluções, as faça rodar nesses ambientes, bem como, que se armazene dados em locais compartilhados de cloud computing, no qual, diversos outros usuários compartilham os mesmos recursos.

É importante frisar que isso não significa que os demais usuários da nuvem pública tenham acesso aos bancos de dados individuais — a inviolabilidade é garantida por mecanismos e protocolos de segurança da informação gerados pela empresa fornecedora do serviço.

Qualquer entidade pode se tornar um provedor de nuvem pública. Mas é importante contar com as empresas que oferecem serviços mais confiáveis e estáveis, principalmente para garantir uma maior segurança para os dados e aplicações.

Qual a diferença entre nuvem pública e privada?

As nuvens privadas e públicas têm a mesma configuração, utilizando tecnologias específicas para virtualizar recursos que podem ser utilizados pelos desenvolvedores em suas soluções.

Enquanto as nuvens privadas são sistemas dedicados aos usuários contratantes, a nuvem pública é fornecida, como serviço compartilhado, fornecendo recursos para vários usuários. E ainda podemos colocar, nessa lista, a nuvem híbrida, que é quando se combina dois ou mais ambientes de nuvem, podendo ser pública ou privada.

Quando falamos em benefícios, em comparação com a nuvem privada, ela tende a ser menos custosa, já que há a divisão dos custos com os demais usuários da nuvem pública. Além disso, é um serviço com gerenciamento mais simples, facilitando as funções dos colaboradores responsáveis por administrar as aplicações em nuvem.

Em compensação, há como desvantagem, em comparação com o outro modelo, a segurança das informações que ali circulam, principalmente quando falamos em dados sigilosos para as organizações. Outro ponto complicado é um maior tempo de resposta diante de requisições, já que o serviço de infraestrutura será requisitado por milhares de outros usuários.

Como é o atual uso da nuvem pública?

Para algumas empresas que estão começando o processo de migração para nuvem agora, normalmente se opta pela modalidade pública, por ser um bom começo para boas estratégias, por oferecer uma maior mobilidade de dados.

Com isso, dados menos sensíveis e que não exijam tanto sigilo podem ser visualizados e editados por meio de dispositivos móveis, garantindo maior flexibilidade para a realização de funções internas na empresa.

Também é bastante utilizado para backups de dados que não sejam delicados. Sendo assim, em caso de falha do sistema, se pode recorrer às informações disponíveis na nuvem pública e garantir a continuidade das tarefas.

Ela é utilizada com frequência, principalmente, pelas empresas que estão buscando um período de adaptação antes de começarem a investir em uma nuvem privada, ou então, para as PMEs que necessitam, ainda, de um maior controle orçamentário no momento e não podem contar com o serviço privado.

É importante frisar que, apesar de todo o apoio oferecido pela fornecedora do serviço no que diz respeito à atualização de firmware, disponibilidade do serviço, recursos essenciais de segurança da informação, entre outras, é responsabilidade do usuário realizar aplicações de patches e configurações mais complexas.

Quais as soluções que a nuvem pública oferece?

Alguns dos serviços que a nuvem oferece para seus usuários são:

  • IaaS (Infrastructure as a Service): a empresa utiliza os recursos de infraestrutura disponíveis na nuvem;
  • PaaS (Platform as a Service): é o serviço de hospedagem e implementação de hardware e software para promover aplicações no ambiente online;
  • SaaS (Software as a Service): a solução é hospedada e roda diretamente no servidor de cloud computing.

Quais cuidados devem ser tomados ao utilizá-la?

Quando uma empresa passa a aplicar a nuvem em seu dia a dia, é fundamental que sejam tomados cuidados importantes, para evitar problemas que comprometam o seu uso ao longo do tempo. Veja as principais a seguir.

Observe o seu fornecedor de nuvem pública

Um ponto, por exemplo, é que o serviço seja integrado à infraestrutura de TI da sua empresa. Por isso, é fundamental encontrar um bom serviço que permita esse tipo de funcionalidade. Além disso, é importante contar com uma organização confiável, com o suporte necessário em caso de indisponibilidade e problemas.

Cuide da segurança dos dados

Outro ponto fundamental é ter os cuidados próprios de segurança da informação. Isso porque, apesar de o fornecedor ter os seus protocolos próprios, a natureza compartilhada da nuvem é bastante delicada para a manutenção de dados mais sensíveis neste ambiente.

É importante, assim, que os gestores de TI das organizações tenham medidas próprias de cuidados com essa área. Algumas dicas são:

  • evitar utilizar rede aberta para acessar a nuvem pública;
  • aplicar protocolos de segurança específicos da sua empresa;
  • treinar e conscientizar os usuários da organização sobre medidas essenciais de segurança (como senhas de acesso);
  • implementar uma política de níveis de acesso em sua empresa.

Entenda como funciona o pagamento do uso da nuvem pública

Uma confusão comum por parte de quem ficará responsável pela gestão da nuvem é compreender que o pagamento pelo serviço não é feito, normalmente, por uma mensalidade. A maioria dos fornecedores trabalha com pagamento on demand.

Ou seja, você arcará com os gastos apenas do que utilizar. Para ter um maior controle sobre os custos, se torna necessário conhecer quais são os consumos médios de recursos. Com isso em mãos, é possível projetar, mais facilmente, quais serão os gastos médios.

Uma forma de conseguir compreender melhor e garantir uma melhor gestão de custos é utilizando uma calculadora cloud. Assim, se facilitará identificar o quanto sua TI poderá custar na nuvem.

Implementar a nuvem pública em seu negócio pode ser uma alternativa para adequar a empresa aos novos tempos do TI. Para isso, portanto, é fundamental ter o apoio de um negócio especializado que ofereça todo o suporte necessário.

Gostou deste artigo? Aproveite e compartilhe-o em suas redes sociais para que mais colegas da área saibam sobre este tema.

Compartilhe:

Outros destaques

Como e por que o modelo Cloud está aqui para ficar?

Cada vez mais empresas estão começando a perceber as vantagens de se mover em direção à nuvem, e o COVID-19 acelerou a adoção dessa tecnologia.

Saiba mais

Por que a computação em nuvem é tão importante para pequenas e médias empresas?

Visando a incentivar a adoção, preparamos um conteúdo com cenários reais de uso da computação em nuvem em diversos setores.

Saiba mais

Field Services: por que você deve se importar com isso?

Há muitos pontos envolvidos com a prestação de serviços que merecem atenção por parte dos gestores das empresas. Afinal, não basta apenas oferecer os serviços de TI para seus clientes — é fundamental prestar toda a assistência para que funcionem adequadamente.

Saiba mais

Assine nossa news

Receba no seu e-mail informações e conteúdos ricos sobre transformação digital e jornada para nuvem dos melhores especialistas do mercado.
Não se preocupe, não enviamos spam. ;)